O que significa empresa Data-Driven e como tornar-se em uma

O termo data-driven, refere-se a utilização de dados para orientar o processo de tomada de decisão para alcançar objetivos traçados pelo negócio. Muitos gestores já se deram conta que tomar decisões baseadas em dados gera resultados melhores que decisões tomadas por intuição. Por isso, muitas empresas estão buscando tornar-se uma empresa data-driven.

Mas o que significa na prática ser uma empresa data-driven?

Pode se dizer que estas empresas podem ser de 3 maneiras diferentes. Há empresas que são completamente data-driven, empresas que dependem de dados para impulsionar seus negócios e empresas que usam dados para melhorarem seus negócios. Vamos analisar cada uma delas.

Empresas completamente data-driven

É o caso de empresas como Airbnb. A empresa não possui nenhum ativo para negociar com pessoas. Ela utiliza apenas de dados para transformar em algo rentável. O negócio dela é obter dados de pessoas que possuem espaços em seus imóveis que podem ser alugados por um curto período de tempo e os oferece para pessoas que desejam uma hospedagem temporária. O lucro da empresa vem de uma porcentagem das transações realizadas entre os fornecedores e os clientes. O mesmo acontece com companhias com Uber e Mercado Livre.

Empresas que impulsionam o negócio através de dados

É o caso de empresas com a Amazon. Ela possui produtos e serviços que são vendidos às pessoas, ou seja ela possui um ativo. Contudo, ela usa amplamente dados para realizar marketing com o objetivo de aumentar suas vendas e no desenvolvimento do seu motor de recomendação de produtos. Outro exemplo de empresas deste tipo é a Netflix, que adquire o direito de transmitir filmes e séries de outras produtoras, ou produz os seus próprios, e utiliza os dados para recomendar a seus clientes.

Empresas que melhoram seu negócios através de dados

São basicamente empresas mais convencionais que possuem o desafio de adaptar o uso de tecnologias para se encaixarem em seu modelo de negócio. É o caso da John Deere, que está apostando em IoT (Internet of Things), embutindo dispositivos em seus equipamentos para coletar dados deles. Estes podem monitorar o equipamento com o intuito de melhorar sua performance, auxiliar em sua manutenção, identificar melhorias, etc.

E como uma empresa pode tornar-se data-driven?

Analisando o cenário exposto, pode-se dizer que os 2 primeiros tipos de empresas já são data-driven. O desafio fica então para empresas do tipo mais convencional.

Possivelmente estas empresas possuem sistemas digitais que auxiliam em suas operações. O problema é que, muitas vezes, estes não são projetados para suportar extração, consumo e análise dos dados de maneira que possa permitir tomadas de decisões que tragam uma melhora nos resultados da companhia.

Ainda assim estas empresas podem tornar-se data-driven. Mas para isso devem observar alguns aspectos:

  • Compreender elasticidade e escalabilidade: seus sistemas devem ser adequados para suportar uma grande carga de dados e, ainda assim, poder aumentar mais sua capacidade quando houver picos de utilização. Se sua empresa for adotar um sistema de recomendação, ele deve possuir uma resposta rápida o suficiente para não interferir na experiência do usuário.
  • Processamento de stream de dados: dados são gerados cada vez mais rápidos, e estas empresas devem se preparar para processá-los quase que em tempo real.
  • Integração de dados: não somente serem capazes de fazer extração, transformação e carga de dados, mas também de integrar dados provenientes de diferentes origens. Por exemplo, integrar dados on-premises com dados on-cloud. E ainda assim devem ser capazes de extrair informação disto.
  • Prezar pela qualidade dos dados: a companhia deve se conscientizar que manter a qualidade dos dados é essencial para o negócio e por isso é responsabilidade de todos garantir sua qualidade.

Sumarizando os pontos expostos, uma empresa que queira tornar-se data-driven deve, a grosso modo, seguir algumas etapas: obter dados de qualidade, desenvolver uma arquitetura de integração de dados robusta e implementar uma plataforma capaz de manipular grandes volumes de dados e, ainda assim, capaz de aumentar sua capacidade em momentos de picos de utilização. Desta maneira, poderá desfrutar dos benefícios trazidos pelas decisões tomadas com base em dados.

Referências

https://blogs.sas.com/content/datamanagement/2017/11/30/data-driven-business/
https://blogs.sas.com/content/datamanagement/2017/12/28/implications-data-driven/


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *